A história de Passagem de Mariana

Apesar de contar com pouco mais de 7 mil habitantes — ou de 3 mil, segundo os dados oficiais do último censo IBGE, de 2010 —, Passagem de Mariana é de longe um dos lugares mais importantes para a história de Minas Gerais. E isso não é papo apenas de quem mora por aqui.

Berço da primeira empresa mineradora do Brasil, da primeira Igreja protestante de Minas, de duas bandas centenárias e um dos locais mais populosos da corrida do ouro mineira, Passagem não só guarda muito do nosso passado, como também explica bastante a respeito do nosso presente.

Venha descobrir um pouco mais sobre este pequeno e especial distrito de Mariana.

O surgimento de Passagem de Mariana

Descoberto por bandeirantes paulistas em 1696 (mesmo ano de aniversário de Mariana), o Arraial de Passagem só foi fundado oficialmente em 1710. Seu nome vem de uma pequena brecha por onde, quem se aventurava indo de Mariana para a antiga Vila Rica, conseguia atravessar pelo Ribeirão do Carmo. 

Por aqui, erguida em 1724, temos a capela de Nossa Senhora da Glória, que é considerada a primeira grande obra do distrito — vale ter em mente que a “versão atual” da capela é um pouco mais recente, já que boa parte do que foi construído no original ruiu em 1755 — juntamente com outro símbolo da crença trazida da  Europa para a região, a Igreja Anglicana de Passagem, colocada de pé em 1820 pelos Ingleses que vieram explorar o ouro mineiro, e que foi a primeira igreja protestante construída no Estado.

Esses dois marcos históricos, presentes até hoje no distrito, apontam parte do que foi a base da explosão populacional do distrito em seus primeiros anos de existência: a exploração da região por colonizadores.  

A história da Mina da Passagem

Foi no início do século XVIII, por volta de 1721, que a mineração começou a ganhar importância histórica em Passagem. Neste período foi liberada a exploração das minas por meio de poços ao pé das montanhas, um tipo de atividade que favoreceu os donos de escravos, único grupo capaz de retirar o ouro dali em grandes quantidades.

Quase um século depois, em março de 1819, essa atividade exploratória fez surgir a Sociedade Mineralógica da Passagem, a primeira empresa mineradora do Brasil, do barão inglês Von Echwege.  Poucas décadas depois, esta sociedade acabou sendo vendida para a Anglo-Brazilian Gold Company.

A exploração da Mina da Passagem como é possível ver até hoje, se estabeleceu como companhia Minas da Passagem, em 1927 e iniciou seus trabalhos através de dragagem no ribeirão do Carmo e seus afluentes. Você pode saber mais a respeito da história da Mina no site oficial, o mariana.minasdapassagem.com.br

Muito dessa história é possível ver pelas ruas e endereços de Passagem até hoje, no entanto, entendemos que pouco foi feito ao longo dos anos para homenagear ou lembrar daqueles que foram explorados. Assim como acontece em Mariana e Ouro Preto, Passagem ainda narra sua existência apenas pela visão (até mesmo glamourizada) de quem explorou a região com a mineração e não pela de quem sofreu com essa atividade. Não poderíamos criar um site sobre o distrito sem deixar clara essa distorção de narrativa que é mantida até os dias de hoje. 

O importante papel da produção cultural em Passagem

Dos trabalhos da Mina também surgiu a Banda Operária, ou, como conhecemos hoje, a centenária banda São Sebastião, que junto à Sociedade Musical Santa Cecília, compõe parte do cenário cultural de Passagem desde o começo do século passado.

A simples existência das duas bandas na localidade é o suficiente para transformar a comunidade, fazendo com que crianças e adolescentes desde cedo tenham despertado o interesse pelos instrumentos musicais através de aulas gratuitas que os pequenos passagenses pode aproveitar. 

Além da música, o cinema também é representado em Passagem através de um pequeno cineclube (hoje desativado), que começou a operar pouco depois da chegada da luz elétrica em Mariana.

Já no final dos anos 90 e começo dos 2000 o movimento artístico de Passagem começou a ganhar mais forma com a instalação de grupos como Osquindô e Circo Volante na região. 

Passagem de Mariana hoje

Com centenas de anos de existência, o distrito de Passagem de Mariana é hoje um dos mais importantes de Mariana, sendo uma das localidades com maior quantidade de empreendedores na região, uma das com maior IDH e servindo como base até mesmo de startups.