CotidianoDestaque

O que é um distrito cultural

Foi lá atrás, no começo do século XVIII, mais precisamente em 1723, que o Rio de Janeiro ganhou o seu Aqueduto da Carioca, uma construção gigantesca, com mais de 17 metros de altura e 270 de extensão, que liga o bairro de Santa Teresa ao Morro de Santo Antônio e tinha como objetivo levar água do Rio Carioca para o Morro de Santo Antônio. Agora, alguns séculos depois, o espaço do aqueduto é mais lembrado por sediar o bairro da Lapa, um espaço boêmio do Rio, famoso por suas atividades culturais.

É no bairro da Lapa que encontramos um dos maiores exemplos de distrito cultural no Brasil, um tipo de projeto de região que, ainda que bastante presente em outros países e extremamente benéfico para a economia local, ainda é pouco explorado por aqui.

Quer saber um pouco mais sobre o que é, afinal, um distrito cultural e como esse tipo de ideia poderia ser aplicada em Passagem de Mariana? Então vem com a gente!

Os famosos arcos da Lapa, no Rio

O que é um distrito cultural

A ideia de distrito cultural é tão pouco explorada no Brasil, que para que possamos conceituá-la, é preciso buscar referências lá de fora, como a do Americans for the Arts, que coloca os distritos culturais como sendo áreas reconhecidas e rotuladas de uma cidade na qual uma alta concentração de instalações e programas culturais servem como principal fonte de atração, ajudando, assim, a fortalecer as economias locais e a criar um senso aprimorado de pertencimento.

Ainda segundo o Americans for the Arts, existem pelo menos 6 tipos de distritos culturais diferentes:

  • Distritos culturais compostos — Aqueles que abrangem tipos de artes diferentes em espaços diferentes (museus, teatros, cinemas, etc) em uma única região.
  • Distritos culturais formados por instituições — Quando pelo menos duas instituições ditam a rota cultural de uma pequena região.
  • Distritos de produção cultural — Aqui a produção cultural tem um caráter mais educacional e profissional, sendo muitas das vezes formado por centros comunitários, estúdios de artistas e centros de artes educacionais e instalações de mídia
  • Distritos culturais de centro — São aqueles estabelecidos em centros de municípios onde o foco por ali é mais turístico.
  • Distritos de cultura e entretenimento — Mais parecido com o caso do Bairro da Lapa, esses distritos misturam atrações culturais em pequenos espaços com algumas mais comerciais, indo até mesmo para o lado boêmio.
  • Distritos culturais orgânicos — Aqueles que surgem de forma orgânica, sendo mantidos por moradores da própria área e com apresentações culturais específicas daquela região.

Alguns exemplos de distritos culturais pelo mundo

No Brasil nós podemos observar alguns casos interessantes de distritos culturais, como o Distrito Cultural da Lapa, no Rio de Janeiro, onde o turista encontra uma sala de projeção, biblioteca, espaço para exposições e cafeteria. Já em Minas temos o caso do Pólo Audiovisual da Zona da Mata, de Cataguases, que levou o desenvolvimento econômico para a cidade através da produção cinematográfica.

Agora, nos Estados Unidos temos o caso do Wynwood, o distrito artístico de Miami, onde existe um grande museu de arte de rua a céu aberto com uma mistura única de renomados artistas e novos nomes sendo revelados dia após dia, além de restaurantes, bares, jardins e muita arte por todos os cantos.

Benefícios de oficializar Passagem como um distrito cultural

Por causa de estabelecimentos como o Sinhá Olimpia e produtores culturais, como o Circo Volante, o Clube Osquindô e a loja da Maria Sabão, dentre vários outros exemplos, Passagem de Mariana já se enquadra extra-oficialmente como o grande distrito cultural de Mariana. Oficializar isso tende a trazer mais benefícios para a região.

Programas envolvendo distritos culturais impactam positivamente no planejamento urbano das cidades, além do turismo, preservação histórica, desenvolvimento de negócios e emprego

Muitos estados também estabeleceram critérios para certificar ou designar distritos culturais e a assistência oferecida aos distritos pelas agências estaduais de artes varia de planejamento e assistência técnica a incentivos fiscais.

Agora que você conhece o conceito de distrito cultural e viu os benefícios de se transformar Passagem de Mariana em algo assim, que tal ajudar a nossa região a seguir este caminho?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *